Promoção e Proteção Social

 PEP: Experiência em MG

 Promoção e defesa dos direitos humanos de meninos e meninas

Meu querido diário...​
 
 
 
São Paulo, 06 de setembro de 2014
 
Usar preservativo, tomar mais cuidado, preservar o meu corpo... 
Tudo isso parece tão irrelevante hoje à noite (...)
 
São Paulo, 25 de outubro de 2014
 
Hoje de manhã, comecei a sentir dores e enjoos. Fui à farmácia 
e comprei um teste de gravidez. Corri para o banheiro e adivinha? Positivo! 
Fiquei aflita, desmoronei. Liguei para o Gustavo e contei que ele vai ser pai. 
Ele não compreendeu e disse que não vai assumir o filho. Meus pais chegaram 
e eu tive que contar a verdade. Eles me abraçaram e eu senti como se estivesse 
segura com eles.
 
São Paulo, 28 de outubro de 2014
 
Hoje fui ao colégio. Todos me olhavam com desprezo e riam de mim. Já tinha entendido o que 
estava acontecendo.
 
São Paulo, 13 de julho 2015
 
Hoje minha filha nasceu. Eu sei que não gostei muito da ideia de ser mãe, mas quando ouvi 
aquele choro tão delicado, não consegui me conter, foi uma emoção enorme. Colocá-la no 
meu colo e ouvir seu coração bater, pra mim não teve coisa melhor.
 
São Paulo, 13 de julho de 2020
 
Não me lembrava mais de você... hoje é o aniversário de 5 anos da minha filha e, não me 
arrependo de ter feito tudo que fiz, pois não existe nada melhor que ser mãe. 
Eu amo minha filha e não tenho vergonha de dizer: Eu sou mãe.​
 
Camila Lima Aredes, Itabirito - MG​



 
Os textos elaborados pelos alunos de várias escolas mobilizadas pelo programa Proteger é Preciso confirmaram que a Educação Sexual e os Direitos Sexuais, colocados como tema central numa ação educativa, revelam respostas participativas e de extrema criatividade.​
Foi assim no Concurso de Produção de Textos, uma das iniciativas que o Programa promoveu em 2014 e que revelou talentosas composições entre centenas de redações, poemas, crônicas, letras de rap e outros gêneros. E esse resultado comprovou como é importante investir na mobilização e participação de adolescentes, jovens, escolas e representantes de organizações sociais e comunitárias, para a promoção dos direitos sexuais e o enfrentamento às diferentes formas de violência. É nesse sentido que o programa Proteger é Preciso segue atuando.​
 
 

Proteger é Preciso, em Minas Gerais. 
Uma experiência de destaque.​

 
 
Com a parceria da Oficina de Imagens, a Fundação Vale e a Vale implantaram em Minas Gerais o programa Proteger é Preciso, com o objetivo de fortalecer a mobilização e a participação de adolescentes, jovens e representantes de organizações sociais – além de membros da comunidade escolar, técnicos da saúde, educação e assistência social, conselheiros tutelares e municipais – em ações de prevenção e enfrentamento à violência a sexual contra crianças e adolescentes, e promover a defesa dos direitos humanos de meninos e meninas.
 
Todas as ações desenvolvidas pelo programa estão alinhadas às diretrizes do Estatuto da Criança e do Adolescente e buscam incentivar as ações governamentais e não governamentais, assim como fortalecer as redes locais de proteção à criança e ao adolescente.​
 
 
 
 
 
A exploração e a violência sexual contra crianças e adolescentes é um problema que atinge todo o país e exige em seu combate a soma de esforços de todos – cidadãos, empresas, governo e sociedade. Como primeiro passo, precisamos não nos omitir, lembrando que o problema existe e precisa ser enfrentado e denunciado. O conhecimento dessa realidade, que se evidencia em toda a sua perversidade em alguns dos territórios em que a Vale e a Fundação Vale atuam, reforça nosso compromisso com a defesa de crianças e jovens, e nossa convicção de que é preciso somar esforços, saberes e recursos para mudar esse cenário.
- Isis Pagy, Diretora-Presidente
da Fundação Vale
 
 

Os textos elaborados pelos alunos de várias escolas mobilizadas pelo programa Proteger é Preciso confirmaram que a Educação Sexual e os Direitos Sexuais, colocados como tema central numa ação educativa, revelam respostas participativas e de extrema criatividade.​
 
Do meu ponto de vista, é importante porque me dá informações de como reagir à exploração e abuso sexual contra crianças e adolescentes. Nós temos discutido de forma muito transparente, capaz de orientar os adolescentes de como se prevenir contra as violações sexuais.
- Gustavo, 16 anos, 
 
Barão de Cocais-MG​
 
São quatro pilares estratégicos:
 

 
 
 
 
Assim, o programa busca mobilizar o público envolvido, na promoção e defesa dos direitos humanos de meninos e meninas, ampliar seu conhecimento e sua atuação preventiva contra a violência sexual, e fortalecer a rede local de atendimento, em especial as organizações, programas e serviços de atenção à infância e adolescência.
 
 
Sou uma jovem protagonista do enfretamento à exploração e abuso sexual de crianças e adolescentes, e de alguma forma a gente faz diferença na comunidade porque o que a comunidade não sabe pode perguntar pra gente. E o que a gente não souber também vamos procurar saber... então vocês podem contar com a gente.
 

 
- Stefane, 17 anos, 
Barão de Cocais-MG
 
Para potencializar a participação dos jovens e adolescentes, foram desenvolvidas duas frentes de atuação: Mobilização e Oficinas Formativas. 
As mobilizações acontecem em ruas, praças, escolas e instituições, apresentando o programa e desenvolvendo atividades formativas e lúdicas, como cinema de rua, caminhadas, torneios esportivos e gincanas escolares.
A comunicação comunitária, a arte e a tecnologia, a participação social e política, são instrumentos das Oficinas Formativas, trabalhados em linguagens como rádio, fotografia, vídeo, jornal, teatro, dança e poesia​
 

A gente aprende muito no Programa. Eu não tinha muito conhecimento com os temas e agora estou conhecendo mais, tendo informação maior e até mesmo contato com os jovens. A gente passa na rua e os jovens chegam perguntando se vai ter oficina, já criando um vínculo.
 
 
 
- Webert, 22 anos, morador de Antônio Pereira, distrito de Ouro Preto 
 
e educador local do programa Proteger é Preciso.​
 

 
Para potencializar a participação dos jovens e adolescentes, foram desenvolvidas duas frentes de atuação: Mobilização e Oficinas Formativas. 
As mobilizações acontecem em ruas, praças, escolas e instituições, apresentando o programa e desenvolvendo atividades formativas e lúdicas, como cinema de rua, caminhadas, torneios esportivos e gincanas escolares.

 

A comunicação comunitária, a arte e a tecnologia, a participação social e política, são instrumentos das Oficinas Formativas, trabalhados em linguagens como rádio, fotografia, vídeo, jornal, teatro, dança e poesia.​

 
Para o desenvolvimento da formação dos adolescentes e jovens, o programa produziu um kit pedagógico composto por uma série de 8 vídeos e uma cartilha com linguagem adequada a esse público específico. Tanto nos vídeos como na cartilha “Direitos Sexuais são Direitos Humanos” são discutidos os temas relacionados aos direitos sexuais.
Esses mesmos temas foram trabalhados durante o ano nas Oficinas Formativas e também usados nas oficinas preparatórias do Concurso de Redação:​

 

  • Direitos da Criança e do Adolescente
    • Desenvolvimento da sexualidade
    • Igualdade de Gênero (Prevenção à Violência Contra Mulher)
    • Diversidade Sexual e Combate à Homofobia 
    • Prevenção à Gravidez não Planejada na Adolescência
    • Prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis
    • Prevenção ao uso de drogas e álcool na adolescência
    • Prevenção ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
    • ​Participação Social de Adolescentes​
Os núcleos de formação e informação 
 
Para realizar as oficinas com os jovens nos municípios, o programa Proteger é Preciso contou com a parceria de instituições locais que atuam no campo da promoção dos direitos das crianças e adolescentes, e que acolheram o trabalho onde as oficinas são desenvolvidas.
Em Ouro Preto o programa atua no distrito de Antônio Pereira, na Casa Escola. Em Mariana tem suas atividades no distrito de Santa Rita Durão, na Escola Senhor Machado. Em Nova Lima a ação é desenvolvida no Bairro Jardim Canadá, na Quick. Em Barão de Cocais o programa está na comunidade de Dois Irmãos e Garcia, acolhida pela Escola Municipal Norma Horta. Já em Itabirito, o programa acolhe jovens de todo o município, na sede da Casa do Adolescente.
A partir desta parceria, foi inaugurado em cada instituição um Núcleo Jovem de Comunicação. As instituições receberam um kit formado por computadores, câmeras fotográficas, filmadoras, projetores, telões, caixas de som, microfones e outros acessórios, com o intuito de proporcionar aos jovens, a partir da formação que recebem em linguagens de comunicação, a oportunidade de seguir produzindo com autonomia, inseridos no Sistema de Garantia dos Direitos das Crianças e Adolescentes dos municípios onde moram.​
 

 
As cidades mineiras do Proteger é Preciso